Notícia

Com produção de cascalho, usina de britagem praticamente já se pagou

Compartilhar:
30 de mai de 2020 Agricultura e Meio Ambiente
Imagem Com produção de cascalho, usina de britagem praticamente já se pagou
Com produção de cascalho, usina de britagem praticamente já se pagou

Em menos de um ano de funcionamento, a usina de britagem da Prefeitura de Umuarama, instalada no Aterro Sanitário Municipal, já produziu cascalho suficiente para praticamente pagar os seus custos de aquisição e instalação. Produzindo brita desde setembro de 2019, a usina – implantada pela Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente – processa toneladas de entulho de construção diariamente.

Após a separação de resíduos diversos, descartados em meio ao entulho de obra (como papel, plástico, metais e vidro, destinados à reciclagem, e também madeira), o material é processado e triturado, resultando em brita de três bitolas. “A brita mais grossa serve como cascalho nas estradas rurais, enquanto a média e a fina podem ser usadas para acabamento e outras finalidades”, explica o diretor de Meio Ambiente do município, Matheus Michelan Batista.

Cada caminhão de cascalho adquirido pelo município para adequação de estradas rurais tem custo entre R$ 1 mil e R$ 1,1 mil. Em oito meses de funcionamento, a usina já produziu cerca de 400 caminhões do produto. O investimento do município na montagem da usina foi de R$ 479 mil em recursos próprios. “Ela praticamente já se pagou, em menos de um ano. E ainda tem capacidade de aumentar a produção, se o município tiver necessidade”, lembrou o diretor.

O cascalho produzido na usina já vem auxiliando o setor de Serviços Rodoviários a melhorar as condições das estradas. A Estrada Passa Quatro, próximo ao distrito de Lovat, foi readequada e cascalhada em seus 2 mil metros de extensão. “A utilização do material garante mais durabilidade ao serviço de adequação realizado pelo município”, acrescentou o secretário de Serviços Rodoviários, Mauro Liutti.

O prefeito Celso Pozzobom disse que a usina foi um ótimo investimento. “Existe um projeto que prevê a utilização do cascalho para melhorar o acesso a pequenas propriedades, nos chamados ‘carreadores’, favorecendo a entrada e saída de caminhões com insumos e a produção rural, bem como nas granjas que estão produzindo frangos. O projeto está bem adiantado”, informou.

Segundo o diretor de Meio Ambiente, a usina recebe hoje cerca de 60 caçambas e caminhões de entulhos. “A gente acaba estocando o material, porque conseguimos processar todo esse volume diariamente. Mas se houver demanda, podemos aumentar a produção. Hoje temos o equipamento, os insumos e a mão de obra treinada”, acrescentou.

A usina tem capacidade de produção de até 20 m³ por hora, aproveitando o entulho que antes era descartado em espaços particulares ou dispensado de forma irregular em terrenos, aterros e fundos de vale. Desta forma, o equipamento permite ainda reduzir o volume de rejeitos dispensados na natureza.

“Temos hoje mais de 600 km de estradas não pavimentadas que exigem cuidados constantes. O cascalhamento é um serviço que reduz essa necessidade de manutenção e garante melhores condições de trânsito para os moradores da zona rural, no deslocamento e no escoamento da produção”, lembrou Pozzobom. “Onde ainda não é possível a pavimentação asfáltica, o cascalho é uma ótima opção e com produção própria poderemos atender mais estradas”, finalizou o prefeito.

 

Mais fotos - clique aqui

Visualizar imagens Flickr