Notícia

O programa de desenvolvimento de arenito está atraindo produtores

Compartilhar:
14 de nov de 2011 Diversos
Imagem O programa de desenvolvimento de arenito está atraindo produtores
O programa de desenvolvimento de arenito está atraindo produtores
O programa de desenvolvimento de arenito está atraindo produtores

O município de Umuarama poderá duplicar o número de aviárias em atividades a partir do final deste ano e início de 2012. A informação é da Secretaria Municipal de Agricultura, Meio Ambiente e Turismo dando conta de que existe a previsão de construção de 25 unidades de produção de frango. "Acreditamos que essa previsão não só se cumpra como esperamos que esse número tenha uma ampliação nos próximos meses, já que se trata de uma atividade bastante rentável", afirma o secretário Antonio Carlos Fávaro.
Essa expansão da avicultura em Umuarama faz parte do programa de desenvolvimento da região do arenito, lançado este ano pelo Banco do Brasil em parceria com o governo do estado e as Prefeituras, além de outras instituições. "Nós somos um grande município, temos abatedouro de aves instalado aqui, mas o número de aviários em atividade ainda é pequeno. Temos capacidade para crescer muito ainda", observa o prefeito Moacir Silva, defensor infatigável da diversificação das atividades rurais como forma de tornar rentável principalmente as pequenas e médias propriedades.
A maioria dos aviários que tem previsão de construção tem o padrão de 2.100 m², com capacidade de produção de 33.600 aves por lote (tiradas a cada 42 dias).
Segundo técnicos da Secretaria Municipal de Agricultura, a construção de um barracão desses gira em torno de R$305 mil a R$310 mil reais. O Banco do Brasil, dentro do programa do arenito, financia até R$300 mil reais por aviário.
Já a Prefeitura oferece aos produtos a terraplanagem da área onde será construído o aviário. Cada obra consome em média 70 horas/máquina.
Considerando o preço praticado no mercado, de R$110 reais a hora, o município investe R$ 7.700,00 por barracão. Havendo a construção dos 25 aviários previstos, os valores despendidos pela Prefeitura ultrapassam a casa dos R$190.000,00. Além da terraplanagem, a Prefeitura também garante serviços de melhorias no acesso às propriedades, inclusive com cascalhamento em trechos das estradas rurais.
"Diante da importância da avicultura para a economia do município, o incentivo
oferecido pela administração é perfeitamente justificável. A atividade garante
uma boa renda para os agricultores, melhorando a qualidade de vida no campo", declara Moacir Silva.
Conforme cálculos feitos por técnicos da Prefeitura, um aviário de 2.100 m² gera uma renda bruta, em média, de R$14 mil reais por lote, ou R$ 84 mil reais por ano. Já a renda líquida poderá chegar aos R$ 51 mil reais/ano.
Numa avaliação superficial, significa que uma propriedade com um barracão nas proporções mencionadas, renderia, em média, mais de R$4.200 reais por mês.

Texto: Valdir Miranda
Fotos: José Anselmo Sabino