Notícia

R$ 1 mi para obras do aterro sanitário

Compartilhar:
15 de out de 2009 Diversos
Imagem R$ 1 mi para obras do aterro sanitário
R$ 1 mi para obras do aterro sanitário

Foram repassados à Prefeitura de Umuarama, pela Fundação Nacional de Saúde (Funasa), recursos da ordem de R$ 1.097.912,24 - destinados ao pagamento de serviços realizados na adequação do aterro sanitário. O dinheiro depositado em conta específica nesta semana é resultado de emenda apresentada pelo deputado federal Dr. Osmar Serraglio, representante do município em Brasília.
Com os recursos da Funasa e a contrapartida do município (em torno de R$ 400 mil), foi possível a impermeabilização da célula (também conhecida como ‘manta') onde é depositado o lixo, e com isso evitar que o chorume produzido contamine o solo. "Também foram construídas duas lagoas para deposição do chorume, igualmente impermeabilizadas, o que vai garantir vida mais longa ao aterro sanitário", informa o secretário da Agricultura, Meio Ambiente e Turismo, Antonio Carlos Fávaro.
O secretário observa que esse trabalho no aterro foi realizado há um ano, aproximadamente, mas o sistema de resíduos sólidos só entrou em operação em janeiro passado, no início desta gestão. O repasse federal, que já havia sido garantido por emenda apresentada pelo deputado Osmar Serraglio, entretanto, foi liberado só agora.
"Como vem ocorrendo nos últimos anos, o Dr. Osmar tem sido um parceiro fundamental da nossa cidade, conseguindo assegurar, com sua atuação individual, benefícios que contribuem para melhorar a qualidade de vida da população, como esse do aterro sanitário", faz questão de ressaltar o prefeito Moacir Silva.
Coleta seletiva
Com os trabalhos já realizados, o aterro sanitário "atende as exigências ambientais", conforme observa Fávaro. Entretanto, ele considera que é preciso dar um passo adiante para conseguir dar vida mais longa ao aterro. "Umuarama produz muito lixo, cerca de 55 toneladas por dia, e muito pouco disso é reciclado, sobrecarregando o aterro", constata o secretário.
Ele informa que a Prefeitura tem uma proposta para desenvolver uma campanha de orientação e incentivo para a população passar a fazer a separação do lixo, contribuindo para que a coleta seletiva atinja todos os bairros, destinando ao aterro sanitário somente o material orgânico e dando destinação diferente aos materiais recicláveis. "Precisamos mostrar à população a real dimensão desse problema, criando uma consciência de preservação do meio ambiente a começar pela separação do lixo produzido em casa", acentua Fávaro.
Atualmente, Umuarama recicla apenas 0,5 % do lixo. A Assucmar (Associação Umuaramense de Catadores de Materiais Recicláveis) coleta em torno de 2 mil quilos por dia. Outros catadores, em torno de mil quilos. Ou seja, apenas 3 toneladas de lixo são recicladas. "O objetivo é reciclar cerca de 35 % do lixo produzido em Umuarama, ou seja, algo próximo a 20 mil quilos, diariamente. Isso vai exigir muito trabalho e participação da população", conclui o secretário.