Notícia

Reunião do G22: municípios e empresas discutem coleta de lixo e geração de renda

Compartilhar:
27 de abr de 2010 Diversos
Imagem Reunião do G22: municípios e empresas discutem coleta de lixo e geração de renda
Reunião do G22: municípios e empresas discutem coleta de lixo e geração de renda

O diretor da Secretaria Municipal de Agricultura, Meio Ambiente e Turismo, Cláudio Marconi, representou Umuarama na importante reunião realizada na capital do Estado no último dia 15, convocada pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Na oportunidade, representantes dos 22 municípios paranaenses que mais geram resíduos, o chamado G22, trocaram informações sobre o programa Desperdício Zero, que tem como meta reduzir em 30% o volume de lixo gerado no Paraná. A prioridade do G22 é formular ações integradas capazes de beneficiar diretamente o recolhimento e a destinação de diversos tipos de resíduos e a geração de emprego e renda. "A intenção é buscar soluções conjuntas", explica Marconi. "Um dos pontos abordados, inerente à realidade de todas as cidades, é a necessidade de aprimorar o processo que envolve a coleta seletiva. Em alguns casos, a implantação", salienta.
A coleta seletiva é considerada fundamental para reforçar os princípios da sustentabilidade ambiental, pois fortalece os arranjos produtivos locais (APLs), aumenta a vida útil dos aterros sanitários e melhora a qualidade de vida da população.
Além de Umuarama, participaram da reunião representantes das secretarias municipais de Meio Ambiente e técnicos da área de resíduos sólidos de Maringá, Londrina, Ivaiporã, Paranavaí, União da Vitória, Ponta Grossa, Foz do Iguaçu, Rio Negro, Toledo, Arapongas, Apucarana, Telêmaco Borba, Pato Branco, Cascavel, Irati, Jacarezinho, Francisco Beltrão, Campo Mourão, Curitiba, Paranaguá e Guarapuava. Juntos, os municípios de integram o G22 são responsáveis por 90% da geração de lixo do Paraná, 20 mil toneladas por dia.
Foi registrada a necessidade de cada município, em relação ao recolhimento de determinado tipo de resíduo. "É preciso auxiliar os municípios no processo de capacitação e mapeamento dos resíduos dos grandes geradores do mercado, garantindo o escoamento sustentável da produção", diz o coordenador do Programa Desperdício Zero, Laerty Dudas.