Notícia

Seminário apresentou vantagens da banana e do eucalipto para a diversificação agrícola

Compartilhar:
16 de set de 2010 Diversos
Imagem Seminário apresentou vantagens da banana e do eucalipto para a diversificação agrícola
Seminário apresentou vantagens da banana e do eucalipto para a diversificação agrícola

A Prefeitura Municipal de Umuarama, através da Secretaria de Agricultura, Meio Ambiente e Turismo, promoveu ontem à tarde, no anfiteatro da Sociedade Rural (parque de exposições), o 1º Seminário Sobre as Culturas do Eucalipto e da Banana. O evento contou com apoio da Emater e da Associação dos Distribuidores de Insumos e Tecnologia Agropecuária (ADITA). Centenas de produtores prestigiaram as palestras ministradas pelos engenheiros agrônomos Fernando Teixeira Oliveira (Bananicultura), de Andirá, e Anízio Menarim Filho (A Produção de Madeira como Oportunidade de Negócio na região de Umuarama). Foram abordados temas como formas de plantio, manejo, pragas e doenças. Na introdução, o engenheiro agrônomo Waldir José Baccarin explanou sobre a destinação adequada das embalagens vazias de agrotóxicos.

Bananicultura
O cultivo da banana desperta interesse econômico pelo potencial do mercado consumidor, surgindo como alternativa de produção na busca da diversificação agrícola. A região de Umuarama apresenta boas condições para o desenvolvimento da atividade pelo solo, clima e temperatura favoráveis (com poucos riscos de geadas). "Basta dizer que a banana é o quarto alimento mais consumido do mundo, ficando atrás apenas do arroz, do trigo e do milho", explicou Fernando Oliveira.
Segundo o palestrante, a banana está se tornando uma alternativa realmente promissora. Ele ressaltou a importância da tecnologia e aspectos preponderantes para quem resolver apostar na diversificação, como a produtividade em larga escala (ocorre durante todo o ano) e sem grandes limitações técnicas.
Estudos indicam que a fruticultura pode ser uma grande opção para médias e pequenas propriedades que mantêm como atividade econômica principal, por exemplo, o gado leiteiro. A bananicultura pode igualar ou até mesmo superar a renda proporcionada pela produção de leite.
"O seminário apresentou muitos temas interessantes", avaliou o produtor José Antonio Paschoal, que adquiriu recentemente uma propriedade de seis hectares nas proximidades do distrito de Serra dos Dourados. "Gostei muito da opção de utilizar o eucalipto como sombreamento e ao mesmo tempo como uma boa fonte de renda. E o mesmo vale para a fruticultura", afirmou.

Eucalipto
Dentro do conceito de integração lavoura-pecuária, amplamente difundido no Noroeste, o eucalipto surge como opção interessante. Sombreamento adequado, propiciando a ampliação da produção de carne e leite e retorno assegurado em poucos anos com a venda da madeira. "O interesse é crescente", explica o palestrante Anizio Menarim Filho.
O plantio de árvores em meio às pastagens melhora o conforto térmico para os animais. O manejo caracterizado por espaçamentos iniciais largos, desbastes precoces, pesados e podas altas é superior aos tradicionais, com a produção de madeira de boa qualidade e bons resultados econômicos. Além disso, favorece o desenvolvimento satisfatório de outras espécies, também com bom valor econômico (associadas).