Notícia

Umuarama cria primeira Cooperativa de Catadores de Recicláveis (COOPERUMA)

Compartilhar:
18 de jul de 2010 Diversos
Imagem Umuarama cria primeira Cooperativa de Catadores de Recicláveis (COOPERUMA)
Umuarama cria primeira Cooperativa de Catadores de Recicláveis (COOPERUMA)
Durante reunião no anfiteatro do Paço da Amizade, no final da semana passada, foi criada oficialmente a Cooperativa dos Catadores de Recicláveis de Umuarama - COOPERUMA. A entidade surgiu com a finalidade de gerir a Usina de Triagem e Compostagem - em processo de implantação no aterro sanitário. "A cooperativa representa um importante avanço no processo de ampliação da coleta seletiva no município", avalia o secretário de Agricultura, Meio Ambiente e Turismo, Antonio Carlos Favaro.
Segundo a Pesquisa Nacional de Saneamento Básico, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), são coletadas no Brasil, diariamente, aproximadamente 135 mil toneladas de resíduos domiciliares, e metade dos municípios dispõem seus resíduos em lixões. Em Umuarama, a administração municipal capitaneia um amplo projeto, que estabeleceu como meta prioritária atender 100% das regiões da cidade com a coleta seletiva até o segundo semestre de 2012.
Após mais de 20 anos no Congresso, foi aprovado recentemente o projeto de lei 203-B/1991, que regulamenta a reciclagem e disciplina o manejo dos resíduos por meio da Política Nacional de Resíduos Sólidos. A edição de algumas resoluções pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) veio suprir a lacuna legal, cuidando das questões urgentes com a fixação de critérios técnicos para o assunto, entre elas a Política Nacional de Educação Ambiental (lei 9.795/99) e posteriores Estatuto da Cidade (10.257/01) e Política Nacional de Saneamento Básico (lei 11.445/07).
A lei dá instrumentos ao Ministério Público para fiscalizar e punir, criando novos mecanismos de pressão às práticas inadequadas. Se for sancionada pelo presidente Lula (há uma tendência para tal), os governos municipais, estaduais e federal, juntamente com os setores industrial e de comércio e serviços terão quatro anos para se adaptarem. O lixo remanescente da reciclagem irá para os aterros sanitários, que vão substituir os lixões em todo o território nacional.
No município, a cooperativa incorporará o quadro da Associação de Catadores de Materiais Recicláveis (Assucmar), que conta atualmente com 13 associados. O grupo é responsável pela coleta e preparação de aproximadamente vinte toneladas de materiais por mês. A iniciativa também deve atrair autônomos, os chamados ‘carrinheiros'. Segundo o supervisor da Assucmar, diácono Elias Rocha, o segmento deve representar mais de vinte cooperados. "Somar forças é fundamental", acredita.

Reciclar é preciso
Com mais de 100 mil habitantes, Umuarama produz 55 toneladas de lixo diariamente. Menos de 1% vai para a reciclagem. Eliminar desperdícios e a figura do ‘atravessador', além de promover a conscientização maciça da população são metas tangíveis e necessárias, segundo análise da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente.
Outra proposta é desenvolver uma campanha de orientação e incentivo para a população passar a fazer a separação do lixo, destinando ao aterro somente o material orgânico e dando destinação diferente aos materiais recicláveis.

Melhorias
As obras de readequação do aterro sanitário tiveram início com a impermeabilização da célula (também conhecida como ‘manta') onde é depositado o lixo. Foram investidos recursos federais - R$ 1.097.912,24 repassados pela Fundação Nacional de Saúde (Funasa) - e municipais - contrapartida de R$ 400 mil. O objetivo é evitar a contaminação do solo pelo chorume. Também foram construídas duas lagoas para deposição do material - igualmente impermeabilizadas - assegurando vida mais longa para a utilização do aterro.

Usina
O projeto da usina prevê a construção de dois novos barracões. O de triagem, com 470 m², e o de peneiramento e compostagem, com 240 m². No barracão já existente, diversas adequações estão sendo promovidas. O conjunto está orçado em aproximadamente R$ 1,2 milhão, e inclui terraplanagem e aquisição de esteira, prensas, carrinhos, elevador, contêiner, balanças, picador de galhos, peneira rotativa e uma pá carregadeira.
"O projeto contempla todas as necessidades", explica o chefe de divisão do Aterro Sanitário, Rubens Sampaio. Instalações como refeitório, vestiários e sanitários foram inclusas. Por outro lado, a logística da cooperativa será reforçada por mais um veículo. Um ônibus está recebendo as adaptações necessárias para auxiliar o trabalho da Assucmar (a entidade conta apenas com um veículo do gênero atualmente).

Diretoria
Foram eleitos, por unanimidade, para compor a diretoria da cooperativa, os seguintes componentes: Presidente: Aparecido de Souza Lupatelli, Vice-presidente: Adriana Gonçalves da Silva, 1º Secretário: Lilian Bagatelli, 2º Secretário: Silvana Rodrigues Alves,1º Tesoureiro: Tatiane Ramos e 2º Tesoureiro: Regiane Dias Soares. Foram eleitos para compor o Conselho Fiscal os seguintes membros titulares: Marilene Pereira da Silva, Vera Lucia Gonçalves da Silva e Catarina de Souza Lupateli.

Seminário
Com a coordenação da Secretaria Municipal de Agricultura, Meio Ambiente e Turismo e do escritório regional do Instituto Ambiental do Paraná, foi realizado na semana passada o 1º Encontro Regional Sobre Resíduos Sólidos. Participaram representantes de dezenas de municípios da região de Entre-Rios (Amerios). "Os municípios do Noroeste devem ser parceiros na solução de problemas comuns", avalia o secretário Antonio Carlos Favaro.